• Pon color a tu lengua

    La Consejería de Educación del Gobierno de Extremadura está impulsando el portugués como segunda lengua oficial. Ya se puede aprender portugués desde Educación Infantil hasta la Universidad. ¿Por qué? Portugal es el país con el que más relaciones comerciales tiene Extremadura, tanto es así que aún en tiempos de crisis las relaciones socio-ecónomicas han aumentado. Por lo tanto no es de extrañar que infinidad de empresas extremeñas valoren que sus nuevos empleados sepan esta lengua. Haz clic en la imagen para conocer más razones. [...]

  • Aprende de verdad

    En Portugués en Cáceres no nos gusta enseñar lo que viene en los libros. Optamos por un método comunicativo en el que el alumno en poco tiempo consiga hablar la lengua. Tenemos la suerte de tener Portugal a pocos kilometros por lo que podrás practicar lo aprendido en un entorno real cuando así lo desees. Por lo tanto, enseñamos contenidos que sirván para la vida real. También enseñamos portugués con fines especificos (sanidad, hostelería, comercial [...]

  • Exámenes oficiales

    Suena a tópico pero tenemos un ALTO PORCENTAJE de aprobados. Te preparamos para que vayas sin miedos a cualquier exámen de acreditación de nivel CAPLE-Camões, Escuela Oficial de Idiomas o Instituto de Lenguas Modernas. Contamos con exámenes reales y te formamos en todas las competencias para que consigas tu título para fines personales o profesionales.[...]

O Dia Nacional do Pijama

O Dia Nacional do Pijama é um dia educativo e solidário feito por crianças que ajudam outras crianças. É por isso que neste dia, como forma de comemorar a data, as crianças portuguesas vão vestidas com o pijama para os infantários e para as creches, que decidem aderir a esta data. Nestes locais as crianças realizam variadas atividades em pijama durante o dia, até regressarem a casa. Tirar muitas fotografias, para mais tarde recordar, tornou-se quase numa obrigação deste dia para os pais. Em 2016, esta iniciativa foi alargada até às crianças de 10 anos (1º ciclo) e a todos os países onde há portugueses.

Realiza-se a 20 de novembro de cada ano. Nas semanas anteriores, as educadoras e professoras organizam, na sala com as crianças e com as famílias, um conjunto de atividades lúdicas e educativas inspiradas pela Missão Pijama. A data coincide com o dia da Convenção Internacional dos Direitos da Criança. 

Este é um dia em que as crianças pequenas lembram, anualmente, a todos que "toda criança tem direito a crescer numa família". Ainda assim, esta contestação é feita com uma base lúdica, educativa e solidária. A data visa defender o direito de todas as crianças crescerem no seio de uma família, especialmente as crianças que, por diversas razões, estão separadas das suas famílias biológicas. Deseja-se promover, então, o direito de todas as crianças a terem uma família.

Em conclusão, dito dia tenta chamar a atenção para o problema das crianças desprivilegiadas e aumentar o número de famílias de acolhimento em Portugal, de forma a que as crianças que estão separadas dos seus pais possam ser acolhidas por casais dispostos a dar carinho, amor e educação.


ATIVIDADE 1. COMPREENSÃO LEITORA. Leia o texto e depois responda verdadeiro ou falso
1.      Este dia é festejado por crianças de todos os ciclos de Ensino Básico.
V
F
2.      Promove-se mexer nas familias para terem vontade de acolher orfãos.
V
F
3.      É promovido em aqueles países onde se fala português.
V
F
4.      Todas as atividades são realizadas no día 20 de Novembro.
V
F
5.      Somente quando a data calha ao fim de semana é escolhido outro dia para a sua celebração.
V
F

ATIVIDADE 2. EXPRESSÃO ESCRITA. Responda às perguntas a seguir de maneira pessoal.
a.       Qual é a sua opinião sobre a iniciativa que acabou de conhecer?
b.      Conhece a alguém que tenha sido adotado ou que fique orfão?
c.       Se tivesse oportunidade adotava um filho/a?
d.      Acha possível organizar o Dia Nacional do Pijama sem a componente solidária?
e.       As educadoras e as auxiliares devem vestir o pijama no dia 20 de Novembro?

A dança-canção 2018 - "Veste o pijama" - aproxima todos os que vivem o espírito da Missão Pijama. Em todas as escolas, esta música e esta dança, associada à causa "Uma criança tem direito a crescer numa família", vai unir o país. A letra e música é dos D.A.M.A.(padrinho musical de 2018) e a coreografia é do Cifrão (padrinho artístico).

A Lenda do São Martinho


A dia 11 de Novembro, o dia de São Martinho, é festejado um pouco por toda a Europa, mas as celebrações variam de país para país. Em Portugal é tradição fazer-se um grande magusto, beber-se água-pé e jeropiga. Esta é também uma altura em que se prova o novo vinho. Como diz o ditado popular, “no dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”.

A água pé é feita de mosto, após uma boa fermentação junto das massas e, até algum engaço. Entenda-se por engaço o pé do cacho. É uma bebida muito apreciada pelo povo. É uma bebida de baixo teor alcoólico, mas, quando bem feita é super agradável. A jeropiga é uma variante, onde se adiciona sumo e pedaços de fruta. Há, ainda quem use abafado, que é mosto não fermentado com aguardente. Esta última, não se recomenda a quem não pode beber álcool por razões de saúde ou outras.

De acordo com alguns autores, a realização dos magustos remonta a uma antiga tradição de comemoração do Dia de Todos os Santos, onde se acendiam fogueiras e se assavam castanhas. Noutros países, como na Alemanha, acendem-se fogueiras e fazem-se procissões, e em Espanha matam-se porcos, tradição que deu origem ao ditado popular “A cada bacorinho vem o seu S. Martinho”. Também no Reino Unido existe a expressão “verão de São Martinho” que, apesar de já raramente utilizada, está também ligada com a crença de que o tempo melhora nos dias que antecedem o feriado.

A lenda de São Martinho
Num dia chuvoso, regressava a casa São Martinho, valente soldado romano, montado no seu cavalo quando viu um sem-abrigo quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão suplicante e gelada. S. Martinho não hesitou. Parou o cavalo, poisou a sua mão carinhosamente na do pobre e, em seguida, com a espada cortou ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo.

Apesar de mal agasalhado e de chover torrencialmente, preparava-se para continuar o seu caminho, cheio de felicidade. Mas, subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou limpo e um sol de Verão inundou a terra de luz e calor e deu passo a um dia solhaeiro. Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o acto de bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nessa mesma época, pára por alguns dias o tempo frio e o céu e a terra sorriem com a bênção do sol. Desde então nestas datas, fala-se do verão do São Martinho.

ATIVIDADE 1. EXPRESSÃO ESCRITA. Responda às perguntas a seguir.
1.      Faça um breve resumo da lenda de São Martinho.
2.      Tinhas ouvido falar de São Martinho ou do Magusto?
3.      Quais outras tradições se fazem na tua terra natal nestas datas?
4.      Gostas do tempo de outono e inverno? Porquê?
5.      Como mudam as tuas rotinas nesta altura?



ATIVIDADE 2. PROVERBIOS. No texto inicial apareceu algum proverbio. A seguir tens mais alguns. Leia-os e tente explicar o seu significado.

Em dia de S. Martinho atesta e a batoca o teu vinho.
"A castanha é de quem a apanha"
No dia de S. Martinho, fura o teu pipinho. 
O Sete-Estrelo pelo São Martinho, vai de bordo a bordinho; à meia-noite está a pino.
Verão de S. Martinho são três dias e mais um bocadinho.
S. Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho.



ATIVIDADE 3. COMPREENSÃO DO ORAL e EXPRESSÃO ESCRITA. Ouça a música “O homem das castanhas” do mítico Carlos do Carmo (https://youtu.be/B96m0_C1yIM ) e tente contar em poucas linhas a historia que conta.

ATIVIDADE 4. Para saber ainda mais... COMPREENSÃO DO ORAL. A continuação deixo mais algumas músicas sobre estas datas de São Martinho.

Galo Gordo – Lenda de São Martinho
Antonio Mafra – O vinho da Clarinha

Dia do Bolinho ou Pão por Deus




O dia 1 de novembro celebra-se o Dia de Todos os Santos, Dia do Bolinho ou também conhecido como o Pão por Deus. A tradição, desta data, é que as crianças saem à rua e de porta em porta pedem o bolinho. Ao baterem às portas, as crianças dizem a famosa frase: “Ó tia dá bolinho?” e é assim que as pessoas lhes oferecem bolos, amêndoas, castanhas, tremoços ou guloseimas ou algum tostãozinho que colocam dentro dos seus sacos de pano. É também costume em algumas regiões os padrinhos oferecerem um bolo, o Santorinho.

Os bolinhos típicos são especialmente confeccionados para este dia, sendo à base de farinha e erva doce com mel (noutros locais leva batata doce e abóbora) e frutos secos como passas e nozes. É muito tipico que nas escolas se costume fazer com os alunos os sacos para guardar os presentes que vão ser recebidos nas casas.

As crianças quando pedem pelas casas recitam versos para receber os bolinhos.

Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós,
Para dar aos finados
Que estão mortos e enterrados
À bela, bela cruz
Truz, Truz!
A senhora que está lá dentro
Sentada num banquinho
Faz favor de s'alevantar
Para vir dar um tostãozinho.


Se dão doces:
Esta casa cheira a broa,
Aqui mora gente boa.
Esta casa cheira a vinho,
Aqui mora um santinho.



Se não dão doces:
Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho.
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto

Conheçam também alguns exemplos de celebrações do Pão de Deus pelo país:
Em Barqueiros, à meia-noite do dia 1 para 2 de Novembro, arranjava-se uma mesa com castanhas para os parentes já falecidos comerem durante a noite, “não devendo depois ninguém tocar nessa comida, porque ela ficava babada dos mortos”.

Na aldeia de Vila Nova de Monsarros, as crianças faziam os “santórios”, recebiam fruta e bolos e cada criança transportava uma abóbora oca com figura de cara, com uma vela dentro.
Em Roriz não se chama Pão por Deus, nem bolinhos, nem santoros a comezaina que se dá aos rapazes no dia de Todos os Santos ou de Finados. O que os rapazes vão pedir por portas, segundo lá dizem, é — os fíeis de Deus.

Nos Açores dão-se “caspiadas” às crianças durante o peditório, bolos com o formato do topo de uma caveira, claramente um manjar ritual do culto dos mortos.

Esta atividade é também realizada nos arredores de Lisboa. Antigamente relembrava a algumas pessoas o que aconteceu no dia 1 de Novembro de 1755, aquando do terramoto de Lisboa, em que as pessoas que viram todos os seus bens serem destruídos na catástrofe, tiveram que pedir “pão-por-deus” nas localidades vizinhas que não tinham sofrido danos. Com o passar do tempo, o Pão por Deus sofreu algumas alterações, e os meninos que batem de porta em porta podem receber dinheiro, rebuçados ou chocolates.


ATIVIDADE 1. EXPRESSÃO ESCRITA. Leia este artigo da bloguera florliriodocampo e faça uma escrita como se fosse um comentario no seu blogue com a sua opinião.

ESTE É UM DOS TABULEIROS COM "O BOLINHO" QUE EU DESEJO DISTRIBUIR HOJE Á PEQUENADA, QUE BATER À MINHA PORTA! 
Quando eu era pequenita, recordo-me que neste dia, na aldeia onde nasci era tradição logo pela manhã sair em grupinho, de saquinha de pano na mão, feita de retalhos que minha mãe tão bem sabia fazer e batermos às portas dos vizinhos para nos darem o bolinho. Ainda me lembro do pregão que todos em grupo alteávamos. - Ó tia dá bolinho? Ao fim da tarde as saquitas enchiam-se das coisas mais variadas. nozes, maçãs. rebuçados, bolinhos, figos secos e por vezes até umas moedinhas à mistura!

Era um regalo, ver quem enchia a saquinha mais depressa! Tempos que já não voltam mais e que recordo com saudade! Hoje em algumas localidades do nosso País ainda se vai vendo esta tradição, mas já sem o entusiasmo de outrora. Hoje, sempre que a pequenada me bate à porta, a pedir o bolinho fico satisfeita por ainda poder fazer e recordar aquilo que eu em pequenina via os adultos fazerem e que eu adorava! Abrir a minha porta e meter nos sacos que as crianças trazem nas suas mãos (já não são de pano mas sim de plástico!!) aquilo que na véspera aprontei com este propósito.
Para mim é um prazer ver o contentamento das crianças,também elas desejosas de verem os seus sacos cheios de guloseimas tal como eu quando eu era pequenina!
Domingo, 1 de Novembro de 2009 em https://florliriodocampo.blogs.sapo.pt/57486.html

ATIVIDADE 2. COMPREENSÃO DO ORAL. Ouça a música “Pão por Deus” da banda “Galo gordo”




ATIVIDADE 3. COMPREENSÃO DO ORAL. Mas que tradição é esta? Como começou e por quem é evocada?! O Pão Por Deus, uma das mais antigas tradições portuguesas ainda em uso, evoca uma grande tragédia, mas simboliza também o amor ao próximo em gestos solidários. Nesta reportagem pode ver  como é que ela começou. Comente depois com os colegas da tua turma o video que tens visto.




ATIVIDADE 4 . PARA SABER MAIS... No seguinte blogue tem a receita completa para fazer o Pão de Deus. Achas que és capaz de fazer em casa? https://turmamistablog.blogspot.com/2012/11/em-portugal-no-dia-1-de-novembro-dia.html

NUEVAS PLAZAS para el curso 2018-19

Informamos que hemos abierto nuevamente el periodo de matriculación de PLAZAS para el curso 2018-19. Nuestros alumnos pueden acogerse a la modalidad presencial u online. Además, tienen la opción de conseguir su TÍTULO OFICIAL. Como saben las plazas son limitadas, y se cubren por riguroso orden de matriculación. Para cualquier duda o consulta al respecto pongase en contacto con portuguescaceres@gmail.com o en el 617 16 46 48


¡ El 89% de nuestros alumnos obtuvo su título !

- INICIAÇÃO (A1-A2) 
 - APROFUNDAMENTO (B1) 
APERFEIÇOAMENTO (B2-C1) 
- CURSOS de PORTUGUÉS ONLINE